21/10/2010

Simpósio, Mombojó e Mitch & Mitch

Vamos começar de trás pra frente. Daqui a pouco rola lá na UEL, na sala 656 do CECA, o Sexto Simpósio de Música Independente. Vai começar as 14h e lá vão rolar três palestras: do Alex Antunes, da Márcia Buzalaf e da Carolina Tokuyo. Conversei hoje de manhã com a Márcia (ok, eu sou suspeita de falar dela, porque é minha professora).


Ela vai falar sobre a relação dos meios de comunicação de massa com a música e a cultura independente. A Márcia é jornalista, bauruense, veio pra Londrina ano passado pra dar aula na UEL.  Na palestra, ela deve relacionar o tema à tese de douturado dela, que foi um estudo sobre a censura no jornal alternativo O Pasquim. Ela também contou pra gente (aqui no áudio que a Ju Benetti gravou) que está bem feliz e ansiosa por palestrar do simpósio, já que é o primeiro evento londrinense em que ela participa.


Depois das palestrar ainda rola um debate sobre os temas. Pelo jeito, ainda dá pra fazer inscrição aqui. Mas corre que ta quase na hora!

           
Aí ontem. Rolou Mombojó e Mitch&Mitch. Na passagem de som do Mombojó, eu tive a impressão de que tava cada um tocando sozinho no seu quarto. Mas ok. O show levantou o público e era bonito ver todo mundo cantando e dançando freneticamente. Só não digo mais porque gravei minhas impressões (e de outros colaboradores) em áudio antes e durante o show.
           
A banda Mitch & Mitch me encantou. Se a minha primeira impressão do Mombojó foi que cada músico estava sozinho, os poloneses me fizeram pensar o contrário. Acho que poucas pessoas que estavam ali já conheciam bem a banda. Todo mundo dançava. Em uma música o polacão cativou o público que, as vezes veio até sem esperar muito. O cara chamou todo mundo de paraguaio e arrasou no português. O som? O som é diferente. Tem hora que é calmo, hora que é rápido e olha, nem dá pra ficar falando. Tem que ouvir. Pena que eu tive que sair logo e não pude ficar pra assistir tudo.


 Falando em sair, não vou poder acompanhar de perto o Demo Sul até o fim. Uma pena. Mas é isso aí. A cobertura colaborativa é incrível e vai continuar assim. Fiquem ligados que amanhã e sábado tem mais. Mais som, mais fotos, entrevistas e textos. 

Um comentário:

Alessandro disse...

Mombojó cada um estava sozinho?! teriamos que conhecer um pouco mais do estilo de cada banda para conseguir entender se há necessidade de estar em conjunto ou apenas tocar o seu naípe de som, já que isso eles fizeram muito bem.