19/10/2010

Choveu música em Londrina


Pombos. Vários deles tomaram o céu londrinense no final da tarde da última sexta. Assustados pelo chuvão que se aproximava, os bichos passavam zunindo pelo Centro da cidade. Quem também marcou presença na região central de Londrina foi José Serra, candidato tucano à presidência visitando Londrina pela terceira vez na campanha.

Eu não sei se os pombos, na pressa por conseguir um abrigo, e Serra, na pressa por descolar mais alguns votos, repararam, mas eles passaram bem ao lado do Museu de Arte de Londrina, que abrigava a estreia do festival Demo Sul 2010.

Estreia essa que demorou começar. Culpem a chuva, ou a ameaça dela. Ventava. Relâmpagos e trovões cortavam o céu. E cadê de cair água? Nada. Se a intenção da chuva (vamos acreditar nos sentimentos dela, ok?) era espantar o público, não deu lá muito certo. Porque, apesar de um segundo dilúvio se aproximar, a audiência, firme, forte e cansada de covers, ia chegando ao Museu.

A chuva, arrogante, se julgando tão importante quanto rock stars, demorou pra iniciar sua apresentação. Mas, em certo momento nem ela se aguentou e... Dá-lhe água! Colaboradores, público, artistas, todos devidamente ensopado graças ao aguaceiro.

Enfim, música! Depois de chuva, pombo, Serra e passagens de som, o Demo Sul 2010 começava com Bernardo Pellegrini e o Bando do Cão Sem Dono. Eram oito horas. Provavelmente, iniciar um festival de música enquanto a quadradona Voz do Brasil toma os rádios Brasil afora não é recomendável: deve dar azar. Por isso, atraso. Bom, voltemos ao Bernardo e o Bando...

Os colegas de colaborativa já disseram o suficiente a respeito das bandas de sexta. Vale eu escrever mais sobre elas? Vale, mas farei apenas observações breves, espero. O Bando, e Bernardo, são londrinenses. O grupo, a música que eles fazem, o estilo dos caras, tudo isso me traz um tom de nostalgia. De uma "outra" Londrina que existiu há certo tempo. Não bandeando (entendeu essa? Há!) pelo saudosismo, mas, ao escutá-los, sinto que tô numa ponte entre a atual cena londrinense e aquela - que não presenciei, claro - ocorrida em um passado recente.

Para os míopes, a entrevista em vídeo (calma, vai ser postada em breve) com Bernardo e o Bando também foi gravada em áudio, que segue abaixo.

Bernardo Pellegrini e O Bando do Cão Sem Dono by Lucas Marcondes

Após o som local, a conexão vai longe e chega até Pernambuco, que traz o som de Babi Jaques e Os Sicilianos. Não é "beibe jeiques", ok? Já me peguei falando o nome deles assim. O correto, minha gente, é "babí jáques" mesmo, bem abrasileirado. Todos eles muito bem caracterizados ao estilo máfia. Don Corleone iria aprovar. Talvez o padrinho, paternalista que é, não aprovasse uma moça no comando dos vocais do grupo. Mas, vamos deixar o Don de lado. Ele não entende de rock, só de "negócios". Quem provou fazer música de qualidade foram Babi e os Sicilianos, ao mostrarem que Pernambuco não tem apenas times na segunda divisão (brincadeira, gente), mas produção musical interessantíssima.

Pra fechar a noite no Museu, um som tão nonsense quanto o filme de Ben Stiller. Não que isso seja ruim, pelo contrário. O Cérebro Eletrônico subiu ao palco, cantou, dançou, confetou. E, quem viu, certamente gostou da viagem dos caras, que tem músicas bem trabalhadas e letras com tiradas de humor, eletrodomésticos e orgias. Tatá Aeroplano, responsável pelos vocais da banda paulistana falou conosco ao término do show.

Assim, com uma chuva fina que ainda teimava em cair, a noite "de grátis" do Demo Sul acabou. Vale observar que José Serra, político atento que é, se redimiu por ter ignorado o festival em sua carreata por Londrina. O Demo Sul foi saldado com uma magistral queima de fogos vinda do comitê tucano durante os shows que ocorriam no Museu.

E os pombos? Bem, eu notei um voando freneticamente entre o palco e público. Demonstrava medo. Isso porque, agora, ele e sua trupe não são a única praga da cidade. De 15 a 23 de outubro, música boa também é!

7 comentários:

Tatiana Oliveira disse...

meo, meo, meo! Que texto é esse? Que lindo, Lucas! Ficou tão, mas tão bom!

Lucas Marcondes disse...

Pare de ser irônica. HEHE

Gracias.

Tatiana Oliveira disse...

Mas não, não foi irônico, besta! hahahaha... eu gostei msm: gostei e gostei mto! =D

Lucas Marcondes disse...

Legal - fico bastante gradecido. Essa cobertura tem muita gente boa. Dá gosto de ver. HAHA

Isabela Cunha disse...

Ah meu deus do céu, que texto!!!! ADOREI. Mais um pro hall dos meus favoritos.

E vamo que vamo, infestar essa cidade!

PS: não falei que você é fã dos pombos?

Lais Taine disse...

HAHAHA! Acho que quando falamos que ele era fã de pombos, ele já tinha postado!!

Gabriel Ruiz disse...

Clap, clap, clap!!
Velho, sensacional, texto veloz, fluindo que é uma beleza. Achei muito massa a escolha dos hiperlinks, conseguiu construir um caminho na leitura, massa!
O fim, com a citação do Serra, puta sacada, genial.
Parabéns!